terça-feira, 13 de maio de 2008

Lembranças do útero...

(Para minha saudosa Mãe!)

Era um local escuro,
Porém me sentia seguro,
Havia água, más também sangue...
Na hora da fome o alimento vinha,
Em forma liquida, e eu engolia através de um tubo,
Que penetrava pelo meu umbigo...
Ouvia vozes, porém nada via...
Estava acordado, mas ao mesmo tempo parecia que só dormia...
Às vezes a posição era incomoda,
Pois me virava e me virava, e na mesma permanecia...
Foi um bom tempo que assim fiquei...
Até que um dia sentia um empurrão,
Uma força estranha, pra frente me impelia...
Fui sufocando sentindo agonia,
Via uma luz, tão forte que cegava,
E duas mãos que me agarrar tentavam...
Ouvi gemidos...
Senti empurrões...
E a luz ficou mais forte... Aliás, tudo ficou claro, muito claro...
E senti medo... Muito medo...De tanto medo fiquei aborrecido,
E abri a boca, n’um choro, berrante e incontido...
Mas, uma voz doce me devolveu a calma...
E um forte abraço me devolveu o conforto...
Beijos e lágrimas me cobriam o rosto...
Ouvi então alguém falar...
Parabéns mamãe!... É um lindo menino...

PSDB: sair da base de apoio ao governo não limparia biografia

O abandono da coalizão não livraria os tucanos da associação com Temer e poderia ser considerada como um ato oportunista pelo eleitorado ...