sábado, 3 de maio de 2008

TRIBUTO A CHICO MENDES

Viajou o mundo inteiro,
Palestrou no estrangeiro,
Se entregou de corpo e alma,
Castanheiras, seringais...
Ironia do destino,
Ardiloso assassino,
Tocaiou no matagal...
E com um tiro certeiro,
Abateu o companheiro,
Chico Mendes seringueiro,
Que morreu por não ser mau!,
No meio do fogo a morte a dor,
Semeou a terra, cultivando o amor...
Chora a mata entristecida,
Índio Cabral dessa terra,
Branco que semeia a guerra,
Curumin te pede paz,
Xapurí te enterra triste,
Veste um luto de batalha,
Defendendo os ideais...
Replantar as castanheiras,
Replantar os seringais,
Combater as motos-serras,
Proteger os animais...
Obra poética de Gutemberg Landi.
Todos os direitos reservados ao autor.

EXTRA! EXTRA! R$ 6 Milhões p/cada Deputado pela Reforma da Previdência!

Enquanto falta dinheiro para a SAÚDE, A EDUCAÇÃO, HABITAÇÃO, SANEAMENTO BÁSICO EM VÁRIOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS, para o pagamento dos ...