terça-feira, 8 de julho de 2008

Além da Noite...

Além da noite do sepulcro aberto,
O horizonte mais fúlgido cintila...
Revelando outra luz, doce e tranqüila,
Qual sublime alvorada que vem perto!
Extasiado, o espírito liberto,
Abandonando o ergástulo de argila,
Corta o céu pleno e claro em que se asila,
Longe das sombras do carreiro incerto.
Voz que subis por ásperos caminhos,
Sob cruzes de lágrimas e espinhos,
Acalentai-as para compreendê-las!...
Atravessai a dor ríspida e santa,
Que outra vida mais alta se levanta
No luminoso império das estrelas.

Poesia enviada através de Orkut, por Paulo Roberto, publicada a título de colaboração.

PSDB: sair da base de apoio ao governo não limparia biografia

O abandono da coalizão não livraria os tucanos da associação com Temer e poderia ser considerada como um ato oportunista pelo eleitorado ...