Pesquisar este blog

Seguidores

sexta-feira, 24 de março de 2017

Fundo Soberano Dos Emirados Árabes, processa Petrobrás.





O multibilionário fundo soberano dos emirados árabes, o abu dhabi investment authority (adia), entrou com um processo contra a Petrobras na corte sudeste de nova York pedindo indenização pela desvalorização de ações e bônus da companhia de petróleo em função dos casos de corrupção apurados nos últimos anos. o fundo engrossa a lista de grandes investidores que estão pedindo ressarcimento à empresa, alegando que ela mentiu e omitiu em seus balanços os verdadeiros resultados e receitas, contaminados pelos pagamentos de propinas que vieram à tona com a Operação Lava-Jato.


A Petrobras já fechou 19 acordos individuais para indenizar investidores. de acordo com o balanço da companhia, divulgado nesta semana, foi feita uma provisão de r$ 1,2 bilhão para pagamento dos acordos já firmados. foram 15 no ano passado e os últimos quatro fechados em fevereiro deste ano. mas a empresa informa que não é capaz de fazer uma previsão sobre outros casos em curso. (Jornal Z H)
Analisando tal fato:
tem certos momentos, em que fico na dúvida de tantos “negócios” escusos, praticados dentro da Petrobras, como ela é S.A., ou seja, uma empresa mista, estatal (governo) e acionária, (sócios donos de ações), dá a impressão de que a intenção final disso tudo, é a venda total, deste que é um dos maiores, se não o maior, orgulho brasileiro, o que afinal foi louvado com a frase antológica do presidente Getúlio Vargas … “o petróleo é nosso!”
Aguardemos para ver, o que e onde iremos com tantas “apurações” de irregularidades, se a declaração de uma falência administrativa total, uma descambada cabal das ações e de acionários, e/ou, uma real moralização e recuperação do valor e respeito mundial da nossa Petrobras.
Que Sérgio Moro esteja no caminho certo, e, não a nos levar a acreditar piamente em mais uma “comédia política/social brasileira”, com um final bem pastelão, onde todos serão para sempre apenas indiciados, denunciados e nada de julgados, mantendo inclusive, seus respeitosos cargos e imunidades.
Gutemberg Landi
24.03.2017.

Jusbrasil Newsletter. Noticias da Justiça Brasileira.

Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela continua a ser crime, conforme previsto no art. 331 do Código Pen...